(84) 98726-2445   Av. Nevaldo Rocha, 3545 - Lagoa Seca, Natal - RN, 59022-385

Segunda a sexta-feira, 7h-18h - Sábados, 7h-12h

BlogExameCorrimento vaginal: quando devo me preocupar?

Corrimento vaginal: quando devo me preocupar?

Corrimento Vaginal: Quando Devo Me Preocupar?

Para prevenir infecções vaginais, o corpo produz um corrimento vaginal fisiológico, ou seja, é normal e benéfico. Isso é influenciado por alterações hormonais, orgânicas e psicológicas, que variam de acordo com o ciclo menstrual. Portanto, nem toda secreção vaginal significa que você está doente e precisa de tratamento. O corrimento branco, insípido e pegajoso não deve ser um grande problema.

O que é o corrimento vaginal?

 

O corrimento vaginal é a secreção de fluidos que se conectam ao trato reprodutor feminino e consistem em células mortas na vagina, bactérias da flora vaginal e mucos. Essa secreção ocorre em todas as mulheres em idade fértil, devido ao aumento do conteúdo desses líquidos na cavidade reprodutora.

As quantidades podem variar de acordo com a fase do ciclo menstrual e de cada organismo ou e podem ocorrer por doenças (por exemplo, casos de infecções vaginais) e razões fisiológicas, durante períodos de maior estimulação hormonal, como durante a ovulação, período pré-menstrual e gravidez.

Porém, fora esses casos mencionados acima, se a quantidade da secreção for muito exagerada e suas características forem fora do comum (como a cor e consistência do corrimento ser diferente do branco, leitoso e transparente sem cheiro) é necessário procurar um médico ginecologista e verificar o que pode ser e como fazer o tratamento.

Quais casos devo me preocupar?

  • Caso o corrimento tenha quantidade volumosa, de mau cheiro (aparentando um “odor de peixe”) associado a coceira e/ ou irritação vaginal, pode ser um caso de crescimento anormal de bactérias, caracterizando uma vaginose bacteriana. Estresse, uso de ducha vaginal e período pré-menstrual podem ser algumas das causas desse tipo de secreção.
  • Secreção volumosa, com consistência bolhosa e cor amarelo-esverdeada, associada a coceira intensa e vermelhidão/inchaço da região vaginal caracteriza, na maioria das vezes, um quadro de tricomoníase (uma infecção vaginal causada por um protozoário). Pode haver, também, dor ao urinar e aumento da frequência urinária. Essa doença é uma IST (infecção sexualmente transmissível), logo o parceiro sexual deve sempre ser tratado.
  • Corrimento branco, com grumos, associado a coceira muito intensa e dor para urinar pode caracterizar um quadro de candidíase. Essa não é uma IST e ocorre em até 75% das mulheres em idade reprodutiva. Pode ser causada por estresse, uso de roupas muito apertadas e úmidas ou até queda da imunidade.

Em todos esses casos, deve-se procurar um ginecologista para fazer exames que verifiquem o pH vaginal e qual a causa das infecções, procurando um tratamento. Existem diversos tipos de tratamentos, desde medicamentos via oral, como pomadas para serem passadas na região genital.

No caso de gestantes, é preciso fazer exames para verificar se estão livres de doenças. Caso haja alguma infecção, é preciso tratá-la imediatamente para prevenir futuros problemas de saúde no bebê.

Na Clínica O Doutor, você encontra os especialistas que você precisa para cuidar da saúde do seu corpo com valores justos e atendimento humanizado. Agende a sua consulta e cuide de você!


  • Inicial
  • Quem Somos
  • Especialidades
  • Exames
  • Blog
  • Contato